Obras

Autora dos livros:

* Anunnakis, os Deuses Astronautas - Editora Madras
* A Conspiração Anunnaki - Editora De Geneve
* Ouro de Ofir - Alquimia do Antigo Egito - Editora De Geneve
* Efeito Exillis - O Segredo das Sociedades Secretas
* Mito - Livro de Poesias
* Operação Rhesus - Em busca do Elo Perdido ( Recém lançado. Maio 17)
* 2162 - O Código Secreto de Hitler

À VENDA NAS LIVRARIAS SARAIVA, AMAZON.

quarta-feira, 23 de março de 2016

AS SEREIAS EXISTEM?


Quantas criaturas mais inteligentes do que o homem podem se esconder na profundidade dos nossos oceanos?


A fauna aquática ainda é inexplorada. Os oceanos cobrem dois terços da superfície da Terra, concentrando a maior parte dos seres vivos e da biodiversidade ainda não explorada. Só o oceano Atlântico possui 91 milhões de quilômetros quadrados, sem contar os outros oceanos.
Todavia, o assunto sobre criaturas inteligentes aquáticas é um assunto proibido. Até hoje, todos os esforços de equipes de pesquisas científicas para provar a existência de sereias ou similares são desacreditados pela comunidade científica mundial. 
Existe um grande mistério. Será que há algo em relação à ancestralidade do homem?
            Seres humanos podem ter tido ancestrais marinhos?
Observe as nossas mãos, elas possuem membranas entre os dedos, principalmente, entre o polegar e o indicador. Essa membrana pode ser um resíduo de um ancestral aquático? 
 O homem é o único primata que não possui o corpo totalmente coberto por pelos. Além disso, é o único mamífero bípede, pois na água qualquer mamífero tende a manter a posição vertical. Até a nossa respiração é diferente de outros mamíferos, pois podemos controlá-la de modo voluntário ao mergulhar. De acordo com todos os mamíferos aquáticos nós temos uma reserva de gordura no corpo. Além da facilidade de nadar. Afinal, porque nunca foi cogitada essa ancestralidade pela comunidade científica mundial? 
Criaturas aquáticas da atualidade podem ter sido remanescentes de tempos pré-históricos?

Poseidon, o deus supremo dos mares pode não ser apenas uma lenda da mitologia grega. Quem nos garante, que não há vida inteligente no fundo de nossos oceanos?

Phineas Taylor Barnum (1810-1891), um empresário do ramo de entretenimento norte-americano, comprou uma múmia de sereia durante a guerra civil e começou a expor para a população. Todavia, em 1865, o museu de Barmum que exibia a múmia da sereia foi destruído por um grande incêndio. Porém, a foto da múmia foi preservada pelos arquivos secretos do governo dos Estados Unidos da América.
Nos últimos anos surgiram criaturas anfíbias bem bizarras nas orlas do mundo. Sem questionar a veracidade das fotos, existe a possibilidade de existir hominídeos anfíbios em nossos oceanos. O leque de possibilidades é grande.
Documentos antigos narram a existência de criaturas metade anfíbio-réptil e metade homem há milhões de anos antes do Dilúvio. Antigos documentos estão cheios de simbologia reptiliana/anfíbia, marcando a sua presença no Antigo Egito e também na Antiga Mesopotâmia. 


Fig de Oannes
Segundo Beroso, um sacerdote do século III a.C, tratavam-se de criaturas que se assemelhavam aos homens-peixes e as mulheres-sereias. Eles possuíam sobre os seus corpos uma casca escamosa semelhante à de um peixe. E tinham pés por debaixo da cauda. Para a sua defesa, eles feriam com a sua cauda o que tivesse sob o chão da Terra.
Seus corpos inteiros eram cheios de escamas semelhantes a um peixe. Porém, sob a cabeça de peixe, eles tinham outras cabeças, assim como eles tinham pés semelhantes aos de um homem embaixo de sua cauda. Suas línguas e as suas vozes eram articuladas. Todavia, uma dessas criaturas anfíbias se destacou. Foi Oannes, o deus do conhecimento e da sabedoria, que tinha os segredos da vida e da morte. Até hoje algumas religiões prestam culto a ele. O chapéu do papa ( Mitra) faz referência à cabeça de um peixe. 
Ele trouxe a sabedoria através de compêndios da ciência. Entre elas, a Medicina, a Astronomia, a Matemática, Agricultura, leis, letras, artes e o segredo real das Construções da antiguidade. Segundo o relato de Apolodoro, Oannes vivia no Golfo Pérsico e todos os dias ele emergia das águas para ensinar à humanidade. Ele passava o dia inteiro entre os homens, dando a eles o conhecimento. Quando o sol se escondia, Oannes sempre voltava para as águas, pois era um anfíbio. Ele ressurgia com novos conhecimentos a cada novo despertar, voltando às aguas quando o Sol se escondia no poente.
Seres anfíbios-homens foram os responsáveis pela formação de importantes civilizações como do Antigo Egito, civilização Suméria, civilização Draviniana da Índia (período neolítico) e a civilização que precedeu os maias, no México. A história sobre deuses-serpentes e répteis que vieram para a Terra aparece no contexto cultural e religioso de civilizações como da Suméria, Babilônia, América Central, China, Índia, Japão e outros. Todavia, a raça de anfíbios se alastrou para diferentes partes do mundo através das águas. Os anfíbios chegaram ao Egito pela costa do Mar Mediterrâneo.
Beroso, que tinha acesso às tabuletas de argila da biblioteca do Templo de Jarán (sudeste da Turquia), escreveu uma história de deuses em três volumes. Essa história começava em 432.000 anos antes do Dilúvio, quando os deuses chegaram à Terra. Beroso descreveu uma lista de nomes e a duração de seus reinados. O que encabeçou a lista foi um líder vestido como se fosse um peixe de nome Oannes. Escritos traduzidos por autores como Manly Palmer Hall também fazem referência a uma criatura chamada de Neptuniano Quinotaur, Oannes, Dagon, um animal marinho que engravidou a mãe do primeiro rei merovíngio. Essas criaturas se casaram e tiveram laços consanguíneos com as filhas dos homens. A descendência de Oannes deixou na Terra um núcleo de reis-sacerdotes que estabeleceram uma tradição secreta e sagrada cuja comunicação é chamada de Ultraterrestrial.

“Os Filhos de Cuxe: Sebá, Havilá, Sabtá, Raamá e Sabtecá. Cuxe gerou a Ninrode, o qual começou a ser poderoso na Terra”. Gênesis 10:7,8. 
                                     
        Continua em meu livro A Conspiração Anunnaki

Um comentário:

RICKMASTER disse...

Excelente matéria Annabel! No meu blog: ninchotemporalalternativo.blogspot.com eu também fiz um post abordando esse tema desses seres marinhos, quando puder dê uma olhadinha lá!