Obras

Autora dos livros:

* Anunnakis, os Deuses Astronautas - Editora Madras
* A Conspiração Anunnaki - Editora De Geneve
* Ouro de Ofir - Alquimia do Antigo Egito - Editora De Geneve
* Efeito Exillis - O Segredo das Sociedades Secretas
* Mito - Livro de Poesias
* Operação Rhesus - Em busca do Elo Perdido ( Recém lançado. Maio 17)
* 2162 - O Código Secreto de Hitler (novel - LANÇAMENTO EM JUNHO 17)

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

TEXTO DO MEU NOVO LIVRO : MISSÃO BIRKENAU


Queridos, o texto abaixo ainda está sem correção. Mesmo assim, eu o colei aqui. Trata-se do encontro de minha personagem Petronella com Hitler, quando ela voltou ao passado, em 1944. O livro Missão Birkenau está quase pronto e trata do ocultismo do Nazismo. É um romance. Escolhi o texto abaixo, não porque julgo o texto bom, mas porque senti algo muito forte ao escrevê-lo. Abraço carinhoso a todos.

-Curvem-se! O Fürhrer chegou!
Os soldados tomaram posição ao lado de Adolf Hitler, fazendo um cumprimento honroso ao status de imponência do Fuher à medida que ele se avançava em passos estreitos pela sala de jantar do Castelo de Weissgerberg.
Não era uma miragem, Petronella estava vendo Adolf Hitler parado nas sombras de uma sala de fundos do Castelo. A sua presença provocava nela uma vontade de chorar, assim como uma criança assustada, encolhida num canto qualquer, tapando o rosto com as suas mãos para não ver o que ela não queria enxergar.

Fazendo jus ao impacto de sua presença gritante, a imagem do chanceler lhe cortejava de maneira sinistra. Foi então que ela percebeu o quanto Hitler esbanjava a sua natureza feminina para comover as mulheres; ele usava um ar de fragilidade para descarregar um jugo de poder que fazia qualquer um estremecer. O Führer carregava uma aura de poder capaz de contaminar os homens com um desejo nocivo de obedecê-lo. Uma figura mística que cunhava a personificação de todo o poder maléovolo em uma só pessoa. Não era tão fácil compreender as trevas que envolviam Hitler, mas elas sentenciavam algo curioso.

Sob a sinistra meia luz de uma lâmpada de gás, oito pessoas reverenciaram o Führer com melindrosa cortesia quando ele adentrou mais a sala. Agora ela podia ver melhor o semblante de aparência frágil e de alma tão estrondosa capaz de calar uma multidão apenas com a sua presença. Na contramão, o Führer era dotado de um porte físico incoerente com o estrago que ele fez no mundo. Com mãos tão pequenas e cheias de súplica, era difícil acreditar que ele trazia o genocídio em suas mãos.
A tez da moça estava tão pálida e por alguns momentos, ela não se lembrou nem de se mexer, ficando atônita com a presença do Führer.

Petronella cerrava os punhos escondidos por de trás de seu traseiro empinado, tentando manter a calma até ser cutucada para também se curvar em reverência ao Führer. Então, a moça inclinou-se para frente, os joelhos servindo de apoio para os cotovelos, os olhos fixos no chão, porque não era respeitoso olhar para ele naquele momento.

Subitamente, um breve discurso foi liberado por Hitler:
_Estou cativado! Honre a nossa bandeira! Minhas dúvidas se esvaem. A Alemanha viverá!
LIVRO MISSÃO BIRKENAU - ANNABEL SAMPAIO

Petronella entrou em Amsterdã como se entrasse em um túmulo cheio de ossos que continuavam a arder por um passado tão sofrido. Não era essa metáfora mais compatível com a sua emoção, porém, ela ouvia todos os ossos dos judeus blasfemando pela morte indigna.
Pela história, a Holanda já havia sido invadida por tropas alemãs e estava em plena Segunda Grande Guerra. A noite de inverno já havia caído. O vento soprava pelas avenidas longas dando golfadas de escuridão, emitindo assobios que urravam como lobos famintos em busca do genocídio.
Acabrunhada, ela se enrolava no casaco preto que lhe pesava os ombros, enquanto perambulava com graciosidade pelas ruas desertas da cidade em busca do abrigo secreto dos judeus. Seus passos cadenciados repercutiam ao longe, provocando ecos.
As casas perfiladas ao longo da rua, pintadas de cores variadas ao estilo de Baviera. Por todo lado havia indícios de desmoronamento, entulhos que estreitavam as ruas.
Naquele momento, ela já não se seduzia pelos ares nostálgicos da antiga Amsterdã. E tão pouco temia que isso pudesse deixá-la susceptível às lamentações emocionais incontroláveis de seu coração. MISSÃO BIRKENAU - ANNABEL SAMPAIO