Obras

Autora dos livros:

* Anunnakis, os Deuses Astronautas - Editora Madras
* A Conspiração Anunnaki - Editora De Geneve
* Ouro de Ofir - Alquimia do Antigo Egito - Editora De Geneve
* Efeito Exillis - O Segredo das Sociedades Secretas
* Mito - Livro de Poesias
* Operação Rhesus - Em busca do Elo Perdido ( Recém lançado. Maio 17)
* 2162 - O Código Secreto de Hitler (novel - LANÇAMENTO EM JUNHO 17)

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

O SEGREDO DAS SOCIEDADES SECRETAS



FRAGMENTO DO LIVRO EFEITO EXILLIS (Minha autoria)
Há um designo que nenhum homem e nenhuma mulher podem impedir: De ser escolhido para guardar um Segredo incomensurável.

Creio que os raros escolhidos até então tenham resistido a utilizá-lo para benefício próprio. Porém, se isso vier a acontecer um dia, certamente causará a ira de Deus e de toda a descendência da humanidade.
Nephlins sairão debaixo de "Stargates" de monumentos sumérios, além de que, visitantes espaciais cruzarão o céu em fúria e jogarão o Nibiru sobre o planeta Terra, exatamente como foi o castigo do Dilúvio.

Entretanto, esse Segredo foi descoberto pela Ordem dos Templários, desaparecida no século XIV, e sem dúvida nenhuma, as Sociedades Secretas continuam como depositárias desse Segredo até os dias de hoje. Valendo dessa aura de mistério, as sociedades secretas treinam os seus iniciados e colocam em risco o verdadeiro objetivo do Segredo que é ter a linhagem do Graal concluída e o Segredo revelado à humanidade, transformando a visão que os homens possuem de religião, de sua origem e do conceito do que vem a ser o “tempo”.

Confidencio aqui, uma história jamais revelada, mas que se aproxima a hora para que seja conhecida por toda a humanidade. Ela foi passada de geração a geração através da linhagem do Graal.

A linhagem do Graal se iniciou através de Salomão que reinou Israel no período de 1009 a.C a 922 a.C.
Rei Salomão foi um dos homens mais sábios da história. Em Reis 14:29 cita que a sua sabedoria foi superior a de todos os reis do Oriente.

O seu nome aparece nos livros sagrados dos cristãos e dos Islamitas, nos compêndios da Maçonaria e das inúmeras ordens e Sociedades Secretas, citando sempre que Salomão foi detentor de uma Grande Segredo.
Qual seria o segredo do Rei Salomão?
Existem referências bibliográficas que afirmam que o Segredo de Salomão estava contido em um anel de Esmeralda com o símbolo predileto do rei. Um anel cabalístico que lhe dava poderes e que ele utilizava como sinete para autenticar todos os seus documentos. Documentos ainda existentes nos arquivos de Sociedades Secretas e em alguns museus espalhados pelo mundo.
Em 971-931 a. C, David, seu pai, lhe deu a incumbência de construir o Templo de Jerusalém de acordo com uma ritualística exigida, onde deveria guardar a Arca da Aliança, juntamente com as Tábuas da Lei no compartimento Santum Sanctorum do Templo. Então, o rei de Tiro apresentou Hiram Abiff, precursor da Maçonaria, para que Salomão o contratasse para serviços de mestre de obras. Tanto Salomão como Hiram eram iniciados nos Grandes Mistérios egípcios e guardavam o Segredo das Grandes Construções.( O nome maçom em francês quer dizer construtor). Sem sombra de dúvidas, Hiram Abiff foi o verdadeiro arquiteto do Templo, sendo um dos depositários dos Segredos de um Mestre-Maçom. O Antigo Testamento cita Hiram como um mestre em metalurgia e trabalhos com metais.
O Templo de Jerusalém foi o ponto alto na história das construções e segundo Clarke, o estilo, formato e tamanho do Templo correspondem quase a uma cópia do Carbono de um Templo sumério erguido há mil anos antes do deus Nirurta.
Dizem as tradições que, durante a construção do Templo, não houve acidentes de trabalho entre os trabalhadores e não se ouvia o barulho de talhadeiras cortando os gigantescos blocos de pedra, não se ouvia um só ruído. Tudo isso graças ao grande Segredo.

Após a construção do Templo de Salomão, surgiram os Hospitaleiros Templários, que segundo a Ordem foi criada para promover alimentação, hospedagem e proteção aos viajantes. Entretanto, não existia nenhuma evidência que eles estivessem protegendo os peregrinos. Na verdade, eles começaram a conduzir extensas escavações debaixo do Templo. Eram 9 cavaleiros que deram origem a uma Ordem Templária que permaneceu por mais de 200 anos ao longo da história, transformando nos homens mais poderosos do que mesmo os reis, com legendárias habilidades de luta e donos de tesouros imensuráveis. E o mais intrigante, os Templários foram os depositários da verdade sobre a Pedra Graal, a mesma Esmeralda que pertenceu a Salomão.

Essa Esmeralda veio mais tarde a ornamentar o "Cálice da Última Ceia", no qual Jesus Cristo (Yeshua em hebraico, Yeoshua em grego)recebeu como herança dos druidas, pouco antes dele ter sido encontrado no Templo, aos doze anos de idade, confabulando com os doutores da lei e escribas.
E Jesus disse: Mostrem-me a Pedra que os construtores rejeitaram. Essa é a Pedra Angular. EVANGELHO SEGUNDO TOMÉ. LUCAS: 20:17, MARCOS 12:10,MATEUS 21:4


Ruínas da Abadia de Glastonbury

Após sair da prisão, José de Arimatéia, cumpriu o que havia prometido para Jesus cristo no momento de sua crucificação: Levar a Pedra Graal, a Esmeralda, para o próximo a custodiar a Pedra. Dessa forma, se dirigiu para Glastonbury, onde fundou a sua Congregação, construindo a Abadia de Glastonbury, que deu origem mais tarde à Tavola Redonda. Finalmente, no século X a Esmeralda foi designada para manufaturar a bainha da lendária Espada Mágica de Excalibur, onde o Dux bellorum Arthur retirou-a da mais dura rocha, conferindo a ele o título de rei e herdeiro de Uther Pendragon. Em honra a essa Esmeralda, todos os Cavaleiros da Távola Redonda usavam a cor verde em suas vestimentas.




A busca pela Esmeralda ( A Pedra Graal) foi o motivo de confrontos das Cruzadas. Além de ter sido uma das razões das atrocidades da Santa Inquisição, acusando de hereges todos aqueles que sabiam do Grande Segredo da Esmeralda.

Essa busca continuou através dos séculos. Adolf Hitler, conhecedor de profundos conhecimentos ocultistas, em 1930, acreditando ser a Esmeralda responsável pela força Vril, patrocinou várias expedições em busca da Pedra até o sul da França.
Otto Rhan, chefe dessas expedições, descobriu que a Pedra Graal havia sido custodiada pelos Cátaros, em Montesegur. Um dos motivos que os Cátaros foram considerados Arianos pelo terceiro Reich, pois Hitler acreditava que eles eram originários da Raça Raiz, descendentes do povo de Atlântida. Nessas expedições foram achados vários elementos de grande valor arqueológicos de origem Cátara, porém, não encontraram a Esmeralda, mas foi criada a Ordem Vril.

A verdade é que a Pedra Graal guarda uma estreita ligação entre o poder e a sabedoria, a semente de iniciação de todas as Sociedades Secretas. Não consiste em um mero artefato histórico, mas um catalisador ( Quantum Entanglement) de uma força extraordinária que mudará todo o panorama da tecnologia no mundo e o conceito “Espaço-Tempo” tão restrito conhecido pelo homem. Indubitavelmente que a verdade revelada sobre essa Esmeralda colocará em contradição toda a verdade sobre o Cristianismo pregada pela Igreja Católica, um Cristianismo romanceado por dogmas , repleto de verdades ocultas, traçado pelo Concílio de Nicéia, conforme o ideal de "manipulação de massa".

Ruínas Cátaras

A Esmeralda é considerada uma das mais sagradas e poderosas relíquias da História do Cristianismo, simbolizado pela Taça da Última Ceia, a Taça do Saber, negligenciada pelo grande público, mas que sempre atraiu a atenção daqueles que desejam o Poder para alcançar a sua própria glória ou dominar o mundo através de uma Nova Ordem Mundial.

Essa pedra encontra-se atualmente no poder de uma grande organização governamental. O subproduto dessa Esmeralda, um pó monoatômico de diferentes propriedades Quânticas, já foi inclusive patenteado a "duras penas" e tem sido disputado pelas Sociedades Secretas, entre elas, a Opus Dei (Catolicismo), Iluminattis e Ordem Negra, devido ao alto poder tecnológico que ele representa, além de ser a matéria exótica que faltava para concretizar a tão almejada Viagem no Tempo.

Para explicar as propriedades dessa Esmeralda, a Lapis exillis, eu escrevi o livro em forma de romance- ficção, justamente para contracenar com o clima de mistério que a envolve cada personagem que custodiou a Pedra, além de enfatizar a mudança que a “Linhagem do Graal” pode representar na vida de seus escolhidos. Essa pedra guarda todos os mistérios envolvidos na ocasição do Caso Roswell ( A nave de extraterrestre) que caiu no Novo México, em 1947 e foi acobertada pelo Pentágono.

A TEORIA DE OTTO RAHN:
No ano de 1904, nasceu na Alemanha Otto Rahn, um personagem que iria ter uma certa importância dentro do circulo relacionado com a busca do Graal.
Otto, prematuramente foi tentado pela temática medieval a qual se dedicou de corpo e alma durante muitos anos de estudo.
Especializou-se em filologia e história medieval, sendo imediatamente atraído pelo estudo do catarismo, aquela doutrina que ensinava a visão dualista do Universo.
Logo descobriu, mediante a leitura dos poemas medievais sobre o Santo Graal, que existia uma vinculação entre alguns desses textos e a história Cátara.
Especialmente lhe atrai a leitura de Percival de Wolfram Von Eschenbach quanto à semelhança que achava existir entre o castelo de Muntsalvach descrito na obra e o de Montségur, centro espiritual dos cátaros.
A teoria do filólogo alemão assegurava que o Graal esteve na fortaleza situada em Languedoc, e, portanto seria fácil recuperá-lo se si achasse o tesouro cátaro escondido nas montanhas em sua proximidade.
Rahn voltou ao sul da França e passou a percorrer as montanhas e castelos, em busca do tesouro, porém, não conseguiu obter sucesso.

Acreditava que os sítios mais apropriados para as buscas eram a gruta de L´Hermitte e as cavernas limítrofes como a de Lombrives, a maior da Europa. A exploração espeleolíca não era fácil, pois estas cavernas apresentavam portadoras de uma rede intricada de passagens e gretas inexploráveis, que alimentavam a convicção de que nelas se refugiaram na Idade Média os poucos cátaros que puderam fugir da perseguição.

Nessas expedições foram achados vários elementos de grande valor arqueológicos de origem cátara, porém nenhum cálice ou pedra de esmeralda como descreve Wolfram, “caída da fronte de Lúcifer”. Temos de notar que Rahn buscava na realidade esta Pedra sagrada antes do cálice.

Em seu livro “A Cruzada contra o Graal” atribui que a queda final de Montségur ocorreu porque as forças de Lúcifer desejavam na verdade recuperar a pedra que
Como podia Otto Rahn resgatar o tesouro em tão recôndito sitio?
Decidiu fazer uso das artes da geometria para achá-lo.
Rahn, na sua obsessão utilizou estranhos métodos, como traçar sobre o mapa dessas montanhas uma rede de triângulos e trapézios numa tentativa de configurá-la como a “estrela hermética dos Templários”, símbolo que revelaria o sitio exato donde estaria o Graal seu sonho de séculos. Tudo foi em vão. Decepcionado Otto regressa a Alemanha e passa a conhecer importantes dirigentes do partido nazista, como Heinrich Himmler.
No ano de 1936, o filólogo e historiador alemão Otto Rahn, torna-se membro da SS do Terceiro Reich.
Quem de fato tinham sido os catáros na nova formulação de Rahn? Não era difícil descobrir, pois assim ele escreveu:
“Não precisamos de deus de Roma, temos nosso próprio deus. Não precisamos dos mandamentos de Moisés, carregamos em nossos corações o legado de nossos ancestrais. Moisés é que é imperfeito e impuro (...) Nós, ocidentais de sangue nórdico, nos autodenominamos catáros assim como os orientais de sangue nórdico são chamados de persas, os puros. Nosso céu está aberto apenas para aqueles que não são criaturas de uma raça inferior, ou bastardos, ou escravos. Está aberto para os árias (arianos). Seu nome indica que eles são nobres e honrados”.
Naquela época começou a aparecer rumores de que Rahn dentro da SS, tinha criado um circulo de admiradores da seita cátara da qual eles se denominavam de “os neo-cátaros”.
Em correspondência a seu amigo Paul Ladame - de Geneve – prologista de sua segunda obra “A Corte de Lúcifer” e que o acompanhou durante vários dias em suas incursões às cavernas cátaras, que lhe perguntava estupefato porque se havia tornado um nazista, ele respondeu com amargura: “preciso viver...”.

Referências: http://caminhocelta.blogspot.com/2009/09/o-santo-graal-xxxiii-jose-de-arimateia.html

Vejam que a Pedra Graal guarda uma estreita ligação entre o Poder e a sabedoria. Não percam todas as informações sobre esse assunto no meu livro EFEITO EXILLIS 1; até o final do ano, nas grandes livrarias do país.

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá Anabel, muito interessante o seu blog, tenho me encantado..
A respeito do silêncio na construção do Templo de Jerusálem, o conhecimento que tenho é de que as pedras eram trabalhas (pré-moldaldas) em outro local e apenas "encaixadas" pelo operários no local onde o templo foi construído.

Raphael Moreira
rapha_bruno@yahoo.com.br